Mais Olhos Que Barriga

” É um guia de comida, mas é tam­bém um pas­seio pela cidade de alguém cla­ra­mente apai­xo­nado por Lis­boa, onde vive há vinte anos. Não se espere aqui infor­ma­ção fria. A esco­lha dos luga­res é assu­mi­da­mente uma esco­lha pes­soal, e sobre cada um o Miguel escreve um pequeno texto que nos ajuda a per­ce­ber o espí­rito do sítio. Veja-se por exem­plo o iní­cio da entrada sobre o Pomar de Fátima: “Está tudo mudado desde 1973, quando o senhor Manuel come­çou a tra­ba­lhar na casa. Os cli­en­tes mais anti­gos foram desa­pa­re­cendo (“e que ricos cli­en­tes”). Ainda assim, não tem sau­da­des do pas­sado, quando tinha que con­tro­lar o que ven­dia  a cada cli­ente para que desse para todos.”

Alexandra Prado Coelho, jornalista do Público, no seu blogue, ‘Mais Olhos Que Barriga’.

Anúncios